domingo, 3 de outubro de 2021

Fazendo uma saia-calça 1940s

saia calça vintage 1940s

    Não é tão comum eu postar aqui sobre meus projetos do século XX mas resolvi compartilhar esse. É uma saia-calça que fiz baseada em um modelo de 1940s, mas que é possível ver cortes semelhantes sendo usados até hoje! 

Modelo e referências

saia calça 1940s

    Minha principal referência foi o modelo que aparecia no manual d'O Corte Certo, cuja primeira edição data de 1948. Mas pesquisando encontrei modelos da década de 30 muito semelhantes, e apesar de um deles ter um corte diferente, ainda me deu ideias em relação a que cor usar. 

Modelagem e corte 

saia calça 1940s molde

    Para a modelagem eu segui os passos do manual. As únicas diferenças foram a abertura do gancho, que tracei baseado em um outro passo a passo do mesmo livro, e a largura das pernas, que fiz com um pouco de evasê. Também preferi fazer as abas dos bolsos mais arredondadas, e com uma vista. 

saia calça 1940s corte

Processo de confecção 

    O tecido que utilizei pra fazer foi uma viscose sarjada. A primeira coisa que fiz foi aplicar os bolsos na parte da frente. 

saia calça vintage 1940s costura

saia calça vintage 1940s pregas

    Depois uni os lados do gancho na frente e nas costas com costura francesa. Então, fiz as pregas em cada peça. 

saia calça vintage 1940s

    Para fechar uni uma das laterais com costura francesa e a outra com uma costura reta com as bordas finalizadas em barra de lenço e então apliquei o zíper. 

saia calça vintage 1940s

    Os últimos passos foram a união do entrepernas, barras e aplicação do cós. Para decorar eu coloquei botões de massa nos bolsos e para fechar o cós, que é entretelado. Para fechar o cós usei ganchinhos costurados. 

Resultado final 


    Gostei bastante do resultado final! A única coisa que me incomodou foi que resolvi testar um jeito novo de colocar zíper e ele ficou meio volumoso, haha. Mas consegui disfarçar depois, ao menos. Com certeza um peça que eu faria novamente, mudando tecidos, comprimentos e etc.

    Ainda preciso tirar boas fotos dessa peça, aí atualizo aqui.

Referências 

O Corte Certo - Método Racional de corte. Iracema F. Mota 

Tania Sewlong - Megan Nielsen 

Extra:

No canal saiu um vídeo mostrando como fiz a camisa dessas fotos, confira aqui: 

sexta-feira, 30 de julho de 2021

Traje Brasilis: Fazendo um traje brasileiro 1780s

Fazendo um traje brasileiro 1780s

    Voltamos com atualizações do Traje Brasilis! Mudando um pouco a ordem proposta no Projeto de Pesquisa, irei começar com o relato de como eu fiz o traje exterior. Acredita-se que o Carlos Julião passou pelo Brasil durante a década de 1780s e o estilo das roupas também indicam isso. Pra fazer meu traje levei em consideração não só a ilustração do artista mas também peças semelhantes, encontradas em acervos de museus ou outras pinturas da época. Acompanhe como foi o processo: 


 Modelo e referências

Carlos Julião, prancha XXII
Carlos Julião

    A figurinha que peguei para reproduzir é a número 3, que está na prancha XXII. O traje é composto por saia, jaqueta, fichu, egangeantes, e o capote, além de acessórios menores. Ao que tudo indica, ele era o traje de uma mulher de classe média que vivia em um ambiente urbano. Na mesma página aparece a mesma personagem em diferentes trajes. 


Molde e corte: 

Molde jaqueta século XVIII
Digital Museum

    O molde da saia são dois painéis retangulares, como eram as da época. Na ilustração a jaqueta aparenta ter um recorte na linha da cintura, mas eu não achei exemplos de museus que tivessem um efeito parecido, então optei pelos babados formados a partir de nesgas. O molde da jaqueta é baseado em dois modelos de museus, o Digital Museum e o Victoria and Albert Museum. Tracei o meu baseado nesses dois, adaptando pras minhas medidas e acrescentando uma nesga na parte da frente pra realçar o efeito de 'babados'. 

    O fichu é um corte triangular, me baseei no molde do American Ducchess mas tive que aumentar alguns centímetros pra ficar como eu queria. O capote é basicamente um corte de 2m por 1,5m, drapeado no meu corpo com a ajuda de um cordão na cintura. 

    O molde das egangeantes foi desenvolvido por mim, baseado em alguns modelos de museus que foram preservados descosturados. 

Costura e acabamentos:

    A ideia era que o traje fosse o mais historicamente possível em seu visual, então todas as costuras externas foram feitas à mão utilizando pontos históricos, e as internas na máquina de costura para poupar tempo. 

Jaqueta

Jaquetas século XVIII
Digital Museum e Victoria and Albert Museum

    A jaqueta é feita em viscolinho, com forro em viscose. Montei a jaqueta primeiro aplicando as nesgas na parte da frente, reforçando por dentro com entretela e por fora com um reforço do mesmo tecido. Depois uni as laterais, passei a costura e apliquei a manga. O processo do forro foi o mesmo, mas acrescentei um pedaço maior de entretela e coloquei uma tira com ilhoses pra fechar com amarração na frente. Uni as duas partes à mão usando um ponto da época. 

Processo de costura jaqueta século XVIII


Saia 

saias século XVIII
Digital Museum, Modemuze

    A saia é feita no mesmo tecido que a jaqueta, e a construção é bem simples. Primeiro uni as laterais com costura francesa, deixando uns 20cm na parte de cima aberto pra alcançar o bolso, essa parte eu finalizei com pontos à mão. Depois pregueei a frente e costas para que cada parte ficasse um pouco maior que 1/2 da minha cintura, e então apliquei o cós e as fitas de gorgurão. A barra também foi feita à mão, em ponto corrido. 

Processo de costura saia século xviii

Fichu

Fichus
Met Museum e DeWitt Wallace Decorative Arts Museum 

    O fichu é feito em uma tricoline beeem levinha, e a única coisa que fiz foi fazer a barra nela, também usando ponto corrido à mão. 

Processo de costura lenço século XVIII


Capote/capelo 

Capotes e capelos açorianos século XVIII
Duche de Farney, Duche de Vancy, Carlos Julião

    Historicamente, os capotes açorianos seriam feitos em lã, mas escolhi uma viscose que tinha um aspecto semelhante a uma lã fria. Resolvi utilizá-lo de forma drapeada, como nas referências que vi. Fiz a barra no tecido e acabei nem fotografando o processo, e então drapeei no meu corpo na hora de vestir, usando um cadarço. 

Egangeantes

egangeantes século XVIII
Augusta Auctions, LACMA

    Para as egangeantes eu utilizei uma lese de algodão, já que minhas habilidades de bordado não eram suficiente para bordar o tecido do zero, rs. O molde foi feito à mão livre, levando em consideração o formato que eu via nas peças de museus e alguns testes que fiz para ver se o resultado me agradava. Então, cortei o molde no tecido e recortei os bicos da renda para simular um barrado bordado. Para fechar a peça, franzi a parte de cima, apliquei os punhos, passei um elástico por dentro e então fechei as laterais com costura francesa. 

processo de costura egangeantes século XVIII

    Os outros acessórios menores eram as pulseiras e colares de contas pretas, que fiz aqui passando as contas em fios de silicone, e colocando ganchos pra fechar o colar. No cabelo usei um retalho de tecido azul pra fazer uma faixa, costurada como um 'tubo'. 

Resultado final: 

Traje Brasilis - vestindo a moda do brasil do século XVIII

    Eu gostei bastante do resultado! Fiquei satisfeita com as escolhas que fiz, porque ainda que eu tenha tido que fazer escolhas que diferenciavam um pouco do desenho, me baseei em exemplos históricos então acho que ficou um conjunto plausível, consigo realmente imaginar que seria algo usado por uma mulher comum no Brasil do Século XVIII. O que eu mudaria é a jaqueta, que faria um pouco mais justa na cintura, e talvez aplicar as nesgas utilizando outra técnica. No mais, acho que valeu a experiência e não vejo a hora de poder usar esse traje em algum evento. 

    Espero que vocês tenham gostado! Em breve, terá um vídeo no meu canal mostrando também o processo, e outros conteúdos relacionados a esse projeto. 

Para saber mais: 

270 anos da presença açoriana em Santa Catarina  

Como uma mulher se vestia no século XVIII 

Recriação histórica aplicada à história da moda

Glossário: Saias e anáguas 

Principais referências: 

A History of Costume, Carl Köhler

American Guide to 18th century sewing, Abby Cox e Lauren Stowell

Costume in detail:1730-1930, Nancy Bradfield

Para vestir a cena contemporânea: moldes e moda no Brasil do século XVIII, Fausto Viana 

Riscos illuminados de figurinhos de brancos e negros dos uzos do Rio de Janeiro e Serro do Frio, Lygia Fonseca Fernandes da Cunha

1780s, The maids and mistresses short gowns - The Eye of the Needle 

A mulher do capote - Made in Azores 

Figurinhas de brancos e negros: Carlos Julião e o mundo colonial português - Teses USP

sábado, 29 de maio de 2021

Ensaio fotográfico: Passeio Steampunk

    Em 2019 participei de um passeio de Maria Fumaça promovido pela comunidade steampunk de Campinas, aqui em São Paulo. Adoro a literatura fantástica e ficção científica então steampunk é um assunto que me interessa também. Além do passeio tivemos algumas atividades como palestras, apresentações...e eu até mesmo falei um pouco sobre como montar o figurino pra um personagem steampunk! 

    Estando com um traje de passeio vitoriano 1890s e ao lado de uma Maria Fumaça da época bom...tirar algumas fotos foi inevitável, haha. Deixo abaixo minhas favoritas: 

Fotos por Danielle Gressoni

traje de passeio 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

Fotos por Debora Puppet

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

traje de passeio vitoriano 1890s - ensaio steampunk

   Eu adorei as fotos desse dia, não sei porque demorei tanto para compartilhá-las por aqui. Espero que você também tenham gostado. Não vejo a hora de poder voltar a fotografar assim... 

    Até a próxima! 

    Ps.: Peço que não compartilhem as fotos sem minha permissão, por favor. Mas caso deseje é só entrar em contato! 

Patrocinado: vestidos de mulheres


sábado, 27 de fevereiro de 2021

Desafio de costura histórica #2: Stays 1780s

    O tema do Desafio de Costura Histórica desse mês é Silhueta e mais uma vez eu refiz alguma peça que eu já tinha no meu acervo. Dessa vez um stays 1780s. Desde a primeira vez que vi essa peça no acervo do V&A Museum quis fazer algo semelhante, mas de primeira eu não tinha encontrado um tecido parecido e por isso fiz uma versão em floral

stays século XVIII V&A Museum

Molde e corte:

molde stays rococo

    O molde desse stays está presente no Corset and Crinolines, da Norah Waugh, que passei pro papel com o auxílio de um projetor. Como eu já tinha feito um mockup anteriormente, pulei essa parte, já que eu sabia que o molde me serviria. Cortei o molde no tecido jacquard, entretela, brim e tricoline.  

paineis stays século XVIII

Costura e acabamentos:

    Após o corte apliquei entretela no tecido externo para que este ficasse mais reforçado. Depois uni os painéis, costurando o tecido externo junto do brim e o forro separadamente. Abri a costura no ferro de passar nas duas peças.

    Depois apliquei o soutache pra decorar a divisão dos painéis, marquei e costurei as canaletas e inseri as barbatanas - que dessa vez resolvi substituir abraçadeiras, um método que eu já vi algumas recriadoras utilizarem - e os cordões no decote. Depois uni a parte externa com o forro, deixando os avessos pra dentro. 

ilhós bordado à mão

stays século XVIII finalizado

    Então pliquei o viés em volta de toda a borda (definitivamente uma das partes mais demoradas, haha), bordei os ilhóses à mão e estava pronto! Depois foi só arrematar fios soltos e passar o cordão, de forma espiralada como na época. 

Resultado: 

    Eu fiquei bem feliz com o resultado! Realmente era uma peça que eu queria já fazia tempo e fiquei satisfeita de ter conseguido fazer algo pelo menos próximo do original. Foi interessante também observar as diferenças na costura e acabamento ao longo dos anos desde a minha primeira tentativa de fazer stays. 

Ficha do desafio: 

*Desafio: silhueta 
*Materiais usados: jacquard, entretela termocolante, brim, tricoline, viés de algodão, soutache e cordão acetinado. 
*Molde: do livro corset and crinolines, da Norah Waugh
*Data aproximada da peça de referência: 1780-89 
*Quanto tempo você levou nessa peça: Aproximadamente 17h
*Quando planeja usar: em breve! Assim que terminar o traje que estou fazendo no momento 
*Como foi feito: costuras gerais na máquina, alinhavos e ilhóeses feitos à mão 
*Custos aproximados do projeto: aproximadamente R$60, considerando que só tive que comprar o tecido externo, viés e as braçadeiras. O restante eu já tinha em casa. 

Referências: 

(exceto a do V&A Museum, todas foram fontes que utilizei anos atrás quando estava aprendendo)

A history of costume, Carl Köhler
Corset and Crinolines, Norah Waugh
V&A Museum http://collections.vam.ac.uk/item/O13864/stays-unknown/

terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Desafio de costura histórica #1: Jarreteiras do século XVIII

jarreteiras bordadas do século xviii

    O primeiro tema do Desafio de Costura Histórica 2021 era 'roupas de baixo' e escolhi fazer uma jarreteira nova, mais histórica que a outra que fiz anteriormente, toda bordada à mão. Aqui nesse post você acompanha como foi a aventura, rs. 

Inspiração:

jarreteiras do século XVIII
    Para o motivo do bordado eu me inspirei bastante e em modelos da segunda metade do século XVIII, mas resolvi simplificar na hora de desenhar o meu porque eu não sou muito hábil em bordado. 

Pontos: 

pontos de bordado livre
    Antes de escolher o que iria utilizar treinei alguns pontos básicos do bordado livre, e a partir disso escolhi os que eu tinha mais facilidade pra compor o meu desenho. Utilizei o haste nos galhos, corrente nas folhar, nó francês nas flores pequenas e o ponto rosa na flor central. 

bordando as jarreteiras

    A montagem foi bem simples, e inclusive mostro aqui nesse vlog do canal:

   



Resultado:

jarreteiras bordadas do século XVIII

jarreteiras bordadas do século XVIII



Fiquei bem satisfeita com o resultado! Me surpreendi positivamente com o bordado, que apesar de amador ficou bem melhor que o que eu esperava, haha. Só achei a largura meio larga, numa próxima eu faria as jarreteiras mais estreitas. Mas ainda assim gostei. 

Ficha do desafio: 

*Desafio: roupa íntima
*Materiais usados: sarja, linhas de algodão para bordado, fita de cetim 
*Molde: desenho livre mesmo
*Data aproximada da peça de referência: segunda metade do século XVIII
*Quanto tempo você levou nessa peça: Aproximadamente 5h
*Quando planeja usar: em breve! Assim que terminar o traje que estou fazendo no momento 
*Como foi feito: bordado à mão e a montagem na máquina. 
*Custos aproximados do projeto: diria que R$3 porque só precisei comprar a fita, o restante eu tinha em casa. 

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Desafio de Costura Histórica 2021

 

  Vamos costurar juntos em 2021? Desafios de costura histórica são uma ótima forma de estimular a criatividade, confraternizar com pessoas com gosto em comum e desenvolver habilidades. No campo da costura histórica ele não é uma novidade, em 2012 a Leimomi lançou um em seu blog. Eu participo desde 2014, você pode ver minhas entradas nesse marcador aqui

  A ideia do desafio é propor temas e deixar aberto para quem se interessa por costura histórica reproduzir suas peças e ir trocando figurinhas ao longo do processo. Aqui, consideramos como costura histórica a reprodução ou inspiração nas modas de períodos anteriores a 1970. Vale acessórios, roupas completas, costura, tricô, bordado...a ideia é explorar.  

 Como Funciona: 

Todo mês as três anfitriãs divulgarão em seus blogs algumas ideias para você se inspirar para o próximo desafio.

Você pode mostrar seu trabalho num blog, no seu canal ou no seu instagram. É só marcar a hashtag do evento (#dchBR2020) e a hashtag de cada desafio (confira a lista abaixo) e postar as fotos do seu projeto com as seguintes informações:

*Desafio

*Materiais usados

*Molde (usou um molde pronto, de um livro ou feito por você?)

*Data aproximada da peça de referência

*Quanto tempo você levou nessa peça

*Quando planeja usar

*Como foi feito (à mão, à máquina, técnicas históricas, etc)

*Custos aproximados do projeto

Os desafios:

 

Janeiro – Roupa íntima | #DCH2021JANEIRO

A roupa íntima é a base de toda roupa histórica, então nada melhor do que começar por ela, né? Chemises, calçolas, meias, jarreteiras, corset-cover, anáguas… aqui vale tudo!

Fevereiro – Silhueta | #DCH2021FEVEREIRO

Toda época tem uma silhueta característica. Algumas silhuetas são construídas com peças estofadas (pense em suportes de mangas e almofadinhas vitorianas, por exemplo) e armações (crinolinas, paniers, merinaques), mas outras são marcadas com cintos e faixas. Qualquer peça que seja usada para criar a silhueta de um determinado período é bem-vinda aqui

Março – Bolsas pra que te quero! | #DCH2021MARCO

Bolsas e bolsos são parte da experiência humana em todas as épocas. Para esse desafio, escolha uma peça de qualquer tipo – pode ser algo muito chique como um bolso bordado ou a simples bolsa de couro usada por um peregrino medieval – que sirva para guardar objetos dentro dela.

Abril – Acessórios de cabeça | #DCH2021ABRIL

A gente sempre pensa em chapéus, mas a cabeça humana já foi coberta e decorada com uma série de coisas: toucas, véus, tiaras, presilhas, fitas… Então que tal produzir um acessório de cabeça da época de sua preferência?

Maio – Gambiarra | #DCH2021MAIO

Nem sempre a gente consegue os materiais da época ou até aquilo que é usado pelo povo da costura histórica na gringa. Nessas horas entra em ação o super poder brasileiro da GAMBIARRA, ou, como a gente gosta de chamar por aqui, LOGÍSTICA CRIATIVA. Nesse desafio a gente solta a criatividade e a capacidade de inovar, fazendo peças históricas com materiais totalmente alternativos e fora do que é usado normalmente.

Junho – Desafio de Cor: Vermelho | #DCH2021JUNHO

Junho, mês dos namorados, o amor está no ar… Então que tal criar uma peça histórica, de qualquer tipo, usando vermelho?

Julho – Inverno | #DCH2021JULHO

Sabe aquela peça quentinha que você sempre quis e que provavelmente dá pra usar até no dia-a-dia. Esse é o desafio para você produzir uma peça de inverno. Não precisa ser inverno europeu: pense em algo que seria adaptado à temperatura de inverno da sua região.

 Agosto – Parte de cima | #DCH2021AGOSTO

Hora de vestir a parte de cima do corpo. Pode ser uma peça que faça parte de um conjunto (um corpete, por exemplo) ou uma peça única (uma camisa, digamos). O importante é vestir o tronco.

Setembro – Parte de baixo | #DCH2021SETEMBRO

Agora vamos para as pernas. Pode ser uma peça que faça parte de um conjunto ou uma peça única. Mas esses dois desafios (agosto e setembro) podem ser uma boa oportunidade para você fazer seu primeiro traje, com peças coringa que depois possam ser usadas com outras combinações.

Outubro – Desafio: Fantasias de inspiração histórica | #DCH2021OUTUBRO

Hora de soltar toda a sua criatividade: Fantasia de personagem histórico, versão histórica de personagens fictícios, mashups históricos em cosplays… o céu é o limite! Nesse desafio você pode fazer um traje completo, se estiver se sentindo particularmente ousado, mas também pode fazer apenas uma peça.

Novembro – Desafio do Metro | #DCH2021NOVEMBRO

O que você consegue fazer com no máximo 1 metro de tecido? Esse é o desafio perfeito para você criar um pequeno projeto relaxante e econômico, reutilizando materiais que você já tenha em casa.

Dezembro – UFOs (unfinished objects/ objetos não terminados) | #DCH2021DEZEMBRO

Todo mundo tem um projeto que ficou pelo meio do caminho, por falta de tempo ou de paciência. Então, que tal fechar o ano com aquele sentimento de satisfação e finalizar esse UFO?

Blogs anfitriões: 

A Modista do Desterro 

Merlim Crafts 

Como vai funcionar por aqui: 



No blog: descrição dos meus projetos finalizados junto da ficha dos mesmos, ao fim de cada mês.

No Instagram: fotos do processo, compartilhamento de inspirações para cada tema e de projetos de outros participantes

No Twitter: threads com inspirações de cada tema e links de referência para cada mês 

Não se esqueçam de comentar com seus links caso pretendam participar! E usem as hashtags nas redes sociais, (#dchBR2020 e a específica de cada) E podem me marcar, viu? A ideia é realmente interagir ;)

Ansiosa pra ver as criações de vocês. 

Participantes: 

Merlim Crafts

A Modista do Desterro

Vic Trindade 

Tupá Guerra/ Dra. Demodé

Lales Cantarelli / Retrós Histórico

Stephany Krause

sábado, 14 de novembro de 2020

Tutorial: inserção de renda

 Inserção de renda - ou lacing insertions em inglês - é uma técnica de costura muito presente em peças pelo menos desde o século XVI, e que até hoje vem sendo usado. É uma decoração em renda comumente feita num tecido de algodão, que deixa o tecido vazado embaixo, trazendo refinamento e transparência a uma peça.

chemise elizabetana

   Na Era Elizabetana e Renascimento, esse detalhe aparece principalmente em chemises, nas roupas de baixo de classes mais abastadas. 

roupas de baixo vitorianas

   É no fim do século XIX que as inserções se tornam cada vez mais comum, com desenhos cada vez mais intrincados. Aqui, elas estão decorando peças de baixo como combinações, corset covers, e anáguas.

roupas eduardianas

Já no início do século XX ela passa a aparecer também nas roupas externas, como em camisas e tecidos de verão. 

O tutorial que fiz é em vídeo e você pode conferir abaixo:

   

Para mais vídeos, se inscreva no meu canal do youtube